domingo, 21 de fevereiro de 2010

QUE NEM MARÉ



(Jorge Vercilo)

Faz um tempão
Que eu não dou trégua
Ao meu coração
É você o meu lugar
Quando tudo por um fio está

Nada vai me fazer desistir do amor
Nada vai me fazer desistir de voltar
Todo dia pro seu calor
Nada vai me levar do amor

Faz um tempão
Que eu não dou asas
À minha emoção
Passear, distrair
E me achar lá no fundo de ti

A saudade bateu
Foi que nem maré
Quando vem de repente de tarde
Invade, transborda esse bem-me-quer.
A saudade é que nem maré.



CD: Perfil - Jorge Vercilo; Som Livre; 2003.



Conteúdo: Fenômeno das marés; Gravitação universal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário